Loading...
Home2018-12-11T10:29:31+00:00

Sobre

O PROGRAMA

O impacto do consumo de tabaco em Portugal é significativo. É estimado que o tabaco provoca 11% de todas as mortes e que 25% das mortes entre pessoas dos 45 aos 59 anos de idade e 20% de todos os cancros em Portugal sejam relacionados com o tabaco [2]. Pesquisas demonstraram a importância de adicionar o tratamento da dependência de tabaco no tratamento do cancro para melhorar os resultados do tratamento e na sobrevivência geral [3,4], mas as iniciativas em Portugal destinadas à cessação e ao cancro são atualmente limitadas.

Em Portugal as estratégias para o controlo do tabaco incluem o reforço da capacitação dos profissionais de saúde [5]. Os grupos da área da saúde são envolvidos no controlo do tabaco através da Confederação Portuguesa de Prevenção do Tabagismo (COPPT). A Ordem dos Enfermeiros, é membro fundador da COPPT [5], mas a necessidade de intervenções educativas direcionadas a enfermeiros para alcançar os 66 mil enfermeiros portugueses permanece. Além disso, a Associação de Enfermagem Oncológica de Portugal (AEOP), representando mais de 1600 enfermeiros oncologistas e que é promotora deste projeto, também expressou a necessidade de programas educativos focados nos enfermeiros.

Um estudo concluiu que a prevalência de fumadores entre os enfermeiros era de aproximadamente 23% e que fazer uma pausa para fumar durante a jornada de trabalho era um comportamento apresentado por 46,7% dos fumadores [10]. Outro estudo concluiu que existe uma prevalência de 19% de fumadores entre os profissionais de saúde e que o apoio para os profissionais de saúde enquanto modelos a seguir para não se fumar era superior entre os fumadores do que entre os não fumadores. Tal como descrito, experiências anteriores da implementação deste projeto tem demonstrados  positivos em países com elevada prevalência de fumadores entre os enfermeiros. O programa enfatiza que mesmo os enfermeiros fumadores podem apoiar de forma eficaz as tentativas de cessação dos seus pacientes.

Consultores científicos Internacionais

– Linda Sarna, Marjorie Wells e Jenny Brook, Universidade da Califórnia, Los Angeles
– Stella Bialous, Universidade da Califórnia, São Francisco, Presidente ISNCC.
– Esmeralda Barreira, Universidade Fernando Pessoa, Instituto Português de Oncologia -Porto e investigadora no FP-ENAS (UFP Energy, Environment and Health Research Unit)

Fique a par das 

NOVIDADES

Documentos:
Programa Nacional para a Prevenção e controlo do Tabagismo 
Algoritmo de Tratamento
Algoritmo de intervenção

Formações realizadas: 
– Formação de 1 de Dezembro de 2018, em Évora
– Formação dia 28 de Abril de 2018, em Lisboa
– Formação dia 24 de Abrl de 2018, no Porto
– Formação dia 18 de Novembro de 2017, em Setúbal
– Formação dia 28 de Outubro de 2017, em Coimbra
– Formação dia 21 de Outubro de 2017, no Porto

Mais formações serão brevemente anunciadas. 

Projetos implementados:
2018-03-29: Projeto de Cessação Tabágica no H. Distrital Cantanhede, visualize o comunicado de imprensa aqui.

 

Conheça as

ENTIDADES ENVOLVIDAS

A proposta de formação sobre intervenção no controlo do tabaco conjuga 3 componentes complementares: Formação de Formadores, aprendizagem online e reforço de liderança e trabalho em rede. É um programa destinado a formar líderes de enfermagem no controlo do tabagismo.

Implementação

Promotores Internacionais

Parcerias & Apoios

Conheça os

OBJETIVOS DESTE PROGRAMA

Objetivos a serem aplicados entre 2017 e 2019:
01. Apoiar 50 a 100 enfermeiros

que frequentarão um workshop de Formação de Formadores sobre tratamento de dependência de tabaco. Pretende-se que estes formandos implementem formações adicionais nas suas instituições de origem (chegando até mais 500 enfermeiros formados).

02. Recrutar 300 enfermeiros

para participarem num programa educativo online. A avaliação será efetuada através de um inquérito pré e pós (3 meses) formação online.

03. Aumentar em 30%

passados 3 meses da intervenção educativa, o número de enfermeiros cuja autoavaliação seja positiva, relativamente ao apoio a fumadores durante a cessação tabágica.

Formação

E-LEARNING

Os enfermeiros, quando devidamente formados, fazem a diferença na epidemia do tabaco através da Prevenção e intervenção na dependência do tabagismo com base em evidências e na defesa do controlo do tabaco.

A experiência em vários países demonstra que uma combinação de Formação de Formadores (FdF) e programas educativos com uma base online é eficaz para impulsionar a intervenção dos enfermeiros junto de pacientes fumadores.

Está aberta a possibilidade de participar num projeto internacional “Capacitar Os Enfermeiros Portugueses Como Promotores Do Controlo Do Tabaco (PN-TCC).

Oferecemos um acesso gratuito a uma formação online sobre como prover assistência aos doentes para deixarem de fumar.

Antes do acesso à formação online, pedimos-lhe que complete 1 questionários breve (10 minutos cada) sobre o seu conhecimento, atitudes e práticas em cessação tabágica. Toda a informação fornecida é voluntária e confidencial.

Para completar o questionário inicial, por favor siga o link abaixo:

Preencher questionário

Depois do questionário preenchido, pode entrar na Formação:

Entrar na formação online

Após completar o questionário do projeto PN-TCC terá direito a um certificado do Programa de Formação.

Questões?

ENTRE EM CONTACTO

A AEOP está disponível para responder a qualquer questão sobre este programa.
Entre em contacto pelo seguinte formulário.

Concordo que o preenchimento do presente formulário destina-se única e exclusivamente à obtenção de uma resposta à minha questão, sendo que a AEOP - Associação de Enfermagem Oncológica Portuguesa irá respeitar a sua privacidade, não transmitindo os meus dados pessoais a terceiros. Consulte a nossa Política de Privacidade para mais informações.

BIBLIOGRAFIA

  1. Organização Mundial de Saúde. Relatório da OMS sobre a Epidemia Global do Tabaco, 2015. Perfis do país: Portugal. Disponível em http://www.who.int/tobacco/surveillance/policy/country_profile/prt.pdf.
  2. Nunes E. & Narigão M. (2013) Portugal – Prevenção e Controlo do Tabagismo em números – 2013. Ministério da Saúde. Direção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação e Análise. ISSN: 2183-0762 disponível em www.dgs.pt.
  3. National Cancer Institute. Smoking in Cancer Care –Health Professional Version (PDQ®) 20 de junho de 2014. Disponível em http://www.cancer.gov/about-cancer/causes-prevention/risk/tobacco/smoking-cessation-hp-pdq.
  4. Sitas F, Weber M, Egger S, Yap S, Chiew S, O’Connell D. (2014) Smoking Cessation After Cancer. JCO 10 de novembro de 2014 vol. 32, 3593-3595. Disponível em http://jco.ascopubs.org/content/32/32/3593.full.
  5. Nunes E. Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo (PNPCT) 2012-2016. Janeiro 2013. Direção‐Geral da Saúde. Ministério da Saúde, 70 p. Disponível em www.dgs.pt.
  6. Ravara SB, Miranda N, Calheiros JM, Berteletti F, Joossens L. (2014) Tobacco control progress in Portugal: The need for advocacy and civil society leadership Rev Port Pneumol. 2014; 20:289-92. Disponível em http://www.elsevier.pt/en/revistas/revista-portuguesa-pneumologia-320/artigo/tobacco-control-progress-in-portugal-the-need-for-90368878.
  7. Arreigoso VL. Portugueses estão a fumar menos. Sapo Expresso, Secção Sociedade. 1 de março de 2016. Disponível em http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-03-01-Portugueses-estao-a-fumar-menos.
  8. Puska, P., Barrueco, M., Roussos, C., Hider, A., Hogue, S. The participation of health professionals in a smoking-cessation programme positively influences the smoking cessation advice given to patients. Int J Clin Pract. 2005;59:447–452.
  9. Universidade Beira Interior. Relação entre Médicos e Tabaco analisada em tese na UBI. 14 de janeiro de 2016. Disponível em http://www.ubi.pt/Noticia/5676.
  10. Barreira E, Sampaio Gomes F & Cunha LM. Atitudes Face Ao Tabagismo: Hábitos Tabágicos E O Papel Dos Profissionais De Saúde. Psicologia, Saúde & Doenças, 2007, 8 (2), 197-207.